domingo, 30 de junho de 2013

Bolos de arroz com mel de cana

Da última vez que estive na ilha da Madeira, vi em vários cafés uns bolinhos de arroz, daqueles tradicionais, mas mais escuros do que o costume. Fiz a fantasia de que seriam bolos de arroz com mel de cana e resolvi provar! Afinal, eram apenas bolos de arroz com farinha integral... Eram bons, mas ficavam aquém daquilo que tinha sonhado ao olhar para eles.

Quando voltei de viagem, resolvi experimentar a associação, a ver se resultava. E resulta muito bem! Se quiserem o aspeto mais próximo do tradicional, usem os típicos papelinhos na base e à volta e salpiquem a superfície dos bolinhos com bastante açúcar branco. Mas mesmo sem esses pormenores, ficam uns belos bolinhos!






Ingredientes:

6 ovos
160 ml de mel de cana
150 g de farinha de arroz
Raspa de 1 limão


Bater as gemas. Acrescentar o mel de cana e mexer bem.

Adicionar a raspa de limão. Em seguida, envolver a farinha.

Bater as claras em castelo e envolver delicadamente.

Levar ao forno a 190º durante 17 minutos, em formas de silicone ou em formas forradas com papel vegetal. Rende 10 bolinhos.



Fajã - Madeira

sábado, 29 de junho de 2013

Gambas com legumes e arroz integral

Mais uma receita de inspiração chinesa, que faz as delícias do pessoal cá de casa.






Ingredientes:

180 g de arroz integral
250 g de miolo de gambas
200 g de cogumelos pleurotus
1 cenoura
1 curgete
80 g de feijão verde
10 g de gengibre fresco
2 colheres de molho de soja
1 colher de sopa de coentros picados
Sal
Óleo de amendoim


Cozer o arroz em bastante água com sal.

Picar o gengibre. Cortar a cenoura e a curgete em fatias finas. Partir os cogumelos em quatro.

Cozer o feijão verde al dente.

Refogar o gengibre e as gambas descascadas em óleo de amendoim. Retirar e reservar.

Juntar os cogumelos e as cenouras. Cozinhar em lume brando até os cogumelos murcharem.

Adicionar então as curgetes e o feijão verde. Cozinhar em lume brando durante 10 minutos.

Envolver o arroz já cozido, as gambas e o molho de soja. Envolver bem, mantendo ao lume durante dois minutos.

Retirar para uma travessa, salpicar com os coentros e servir de imediato.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Panquecas salgadas de quinoa

Esta receita vem do La Cuisine d'Anna et Olivia e é muito boa! Fiz algumas adaptações, embora a receita original já fosse sem lactose. Aqui fica a minha experiência, que ficou deliciosa. Faz um excelente almoço vegetariano, acompanhado com uma salada mista.





Ingredientes:

310 g de quinoa cozida (pesada depois de cozida)
2 cenouras grandes (cerca de 280 g)
50 g de ervilhas
40 g de farinha de grão de bico
1/2 colher de chá de alho em pó
1/2 colher de chá de oregãos
1/2 colher de chá de pimentão doce
Uma pitada de piri-piri
Sal
Pimenta
1 1/2 colher de sopa de sementes de sésamo



Descascar e cortar as cenouras em rodelas. Cozer em água com sal ou a vapor, juntamente com as ervilhas. Esmagar com um garfo grosseiramente.

Misturar os legumes com a quinoa. Adicionar os temperos e a farinha.

Num prato de sopa, colocar as sementes de sésamo.

Numa frigideira, aquecer um pouco de azeite. Retirar uma concha de massa e passar de ambos os lados nas sementes de sésamo. Dourar de um lado, virar para o outro com a ajuda de uma espátula e dourar. Voltar a repetir o processo até terminar a massa.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Sopa de lentilhas e batata doce

Esta é uma receita do programa Ingrediente Secreto, de Henrique Sá Pessoa. Raramente uso batata na sopa, mas a batata doce não é uma batata qualquer! E esta associação com as lentilhas pareceu-me deliciosa. Fiz algumas adaptações à receita original e não saiu nada mal!




Ingredientes:

1 cebola
1 nabo
1 noz de gengibre fresco (cerca de 18 g)
2 dentes de alho
3 batatas doces
150 g de lentilhas laranja
1 cenoura
1 colher de chá de caril
2 colheres de sopa de coentros
Sal
Amendoim pelado qb (3 amendoins por prato de sopa)



Descascar os legumes e o gengibre. Juntá-los na panela com as lentilhas e colocar água suficiente para os cobrir. Levar ao lume até estarem bem cozidos. Triturar com a varinha mágica.

Voltar a levar a lume brando, deixando apurar os sabores durante 15 minutos.

Retirar do calor, acrescentar o caril e os coentros e envolver bem.

Partir o amendoim no almofariz (cerca de 3 amendoins por prato) e polvilhar no prato.



quarta-feira, 26 de junho de 2013

Pão de cerveja preta

Esta receita veio da Cozinha da Duxa e deixou-me logo curiosa. O sabor da cerveja esbate-se bastante com a cozedura e fica um pãozinho com um sabor vibrante e agradável.







Noite do primeiro dia:

120 g de isco de trigo
200 g de farinha de trigo integral
205 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro, cobrir com um saco de plástico e deixar repousar 12 horas.



Manhã do segundo dia:

Pré-fermento do dia anterior
120 g de farinha de centeio
120 g de farinha de trigo integral
310 g de farinha de trigo branca
1 colher de sopa de mel de cana
1 colher de sopa de azeite
10 g de sal fino
200 ml de cerveja preta



Juntar as farinhas e o sal. Misturar bem e abrir uma cova no meio.

Amornar a cerveja.

À mistura do dia anterior, juntar o mel, o azeite e a cerveja morna. Envolver bem.

Verter esta mistura na cova aberta nas farinhas. Tapar com a farinha que fica nas margens, cobrir com um pano e deixar repousar 5 minutos.

Bater em velocidade 2 durante 6 minutos.

Lavar a taça usada no dia anterior e untá-la com azeite. Colocar a massa dentro e virá-la para ficar coberta em todas as faces. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar 3 horas.

Dar umas voltas à massa, formar uma bola e colocar num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar 4 horas e meia.

Colocar no forno a 230º durante 20 minutos. Baixar para 200º e deixar cozer mais 30 minutos. Desligar o forno, deixando o pão no seu interior durante mais 20 minutos.

Retirar e deixar arrefecer antes de fatiar.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Queques de maracujá com whisky

Estes queques vieram como uma inspiração, uma combinação que me pareceu que poderia resultar bem.

Foi a primeira vez que fiz uma receita com maracujá. Até aqui, sempre que via maracujás, comia-os à colherada, e nunca passavam dessa fase. Mas o desafio da escolha do ingrediente de A Tertúlia da Susy, que este mês esteve nas mãos do Entre Tachos e Sabores, fez-me pensar duas vezes e saíram estes bolinhos.





Ingredientes:

300 ml de polpa de maracujá
50 ml de whisky
100 g de açúcar amarelo
2 ovos
50 ml de óleo de girassol
150 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento


Bater no liquidificador a polpa de maracujá com o whisky. Quando as sementes estiverem trituradas, acrescentar o óleo e continuar a bater.

Adicionar então os ovos e bater mais dois minutos.

Juntar o açúcar, a farinha e o fermento no recipiente da batedeira. Verter a mistura anterior por cima e bater até estar envolvido.

Colocar a massa em formas de queque (rende seis bolinhos) e levar ao forno a 200º durante 30 minutos, até estarem dourados por cima.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Bolo de chocolate e musse de morango

Vi esta receita durante o inverno no blogue Alquimia dos Tachos. Mal pude esperar pela época dos morangos para a experimentar, porque fiquei a babar ao ver as fotografias que a Olívia publicou. Consegui aguentar-me, porque me pareceu que só poderia ficar bem com morangos da época, bem doces. E fiz bem!

Um excelente bolo para uma festa ou um aniversário, pode ser decorado como a nossa imaginação desejar. Desde as decorações mais "pro" até outras muito simples, de uma maneira ou de outra o bolo fica delicioso e faz sucesso em qualquer jantar.

Com esta receita, participo no Concurso 400 + 883 do El Recetario de Lady Halcon, que nos convida a enviar a nossa receita preferida com chocolate. Esta é sem dúvida uma das minhas preferidas!






Ingredientes:

Bolo

5 ovos
130 g de açúcar amarelo
125 g de farinha de trigo integral
2 colheres de sopa de cacau em pó
1 colher de chá de fermento
Óleo de girassol para untar a forma

Musse

8 folhas de gelatina
660 g de morangos (pesados depois de arranjados)
160 g de açúcar amarelo
250 ml de natas de soja

Decoração

80 g de chocolate negro (sem lactose)
50 ml de nata de soja



Lavar e arranjar os morangos. Levá-los ao lume num tacho com 100 g de açúcar, mexendo de vez em quando, até cozer. Desfazer em puré.

Demolhar a gelatina em água fria até amolecer.

Escorrer as folhas de gelatina e adicionar à mistura anterior. Mexer bem, mantendo em lume brando para a gelatina se desfazer completamente e não deixar grumos.

Deixar arrefecer e juntar as natas e o restante açúcar. Levar ao congelador enquanto se prepara o bolo.

Para o bolo, bater bem os ovos com o açúcar até obter um creme. 

Envolver delicadamente a farinha e o cacau. 

Levar ao forno numa forma untada com óleo de girassol a 200º durante 23 minutos. Deixar arrefecer antes de desenformar.

Com uma faca grande, cortar o bolo em duas partes, no sentido horizontal. Retirar a musse do congelador e mexer para uniformizar a consistência.

Colocar a parte de baixo do bolo na forma e cobrir com 1/3 da musse. Levar ao congelador para solidificar cerca de 30 minutos, juntamente com a taça da musse.

Voltar a colocar cuidadosamente a parte de cima. Retirar a forma e cobrir com a musse restante. Levar ao frigorífico para solidificar.

Para a decoração, levar o chocolate a derreter em banho-maria. Quando estiver derretido, adicionar as natas. Colocar a mistura num saco de pasteleiro e fazer os desenhos que se quiser no topo do bolo.





A fatia, com o recheio no interior




domingo, 23 de junho de 2013

Millet com couve-flor e citrinos

Esta receita teve como inspiração uma outra do Gourmantine's Blog, embora tenha sofrido muitas adaptações ao gosto cá de casa. Acabou por sair um prato bem diferente, que serviu às mil maravilhas para as nossas refeições vegetarianas ao longo da semana. Sabores diferentes, uma forma de cozinhar a couve-flor nova para mim e ingredientes que ainda não tinha usado, como o millet. Já se sabe que gosto de experimentar coisas novas!

E com esta receita leve e saborosa participo no passatempo do Cinco Quartos de Laranja, que nos desafia a criar pratos frescos para o verão. Os sabores cítricos deste prato acho que se encaixam muito bem com esta estação do ano.




Ingredientes:

1 couve-flor média
70 g de millet (milho paínço)
1 cebola
2 cenouras
2 tomates
12 g de bagas goji
Raspa de 1 limão
Raspa de 1 laranja
Sumo de meio limão
2 colheres de sopa de salsa picada
1 colher de chá de sumak
Sal
Pimenta
Azeite


Cozer o millet em 215 g de água com um pouco de sal.

Partir a couve-flor em ramos pequenos. No liquidificador, colocar metade e, em velocidade baixa, desfazer até ficar em grãos grossos. Repetir para a outra metade.

Refogar a cebola picada no azeite. Quando estiver transparente, acrescentar a cenoura cortada às rodelas. Deixar cozinhar 10 minutos em lume brando.

Juntar a couve-flor e cozer durante cinco minutos em lume médio, mexendo sempre. Baixar o lume e acrescentar as bagas goji, as raspas dos citrinos e os tomates cortados aos cubos. Deixar cozinhar durante 10 minutos.

Retirar do lume, envolver o sumac, o sumo de limão e a salsa picada. Temperar com sal e pimenta. Envolver o millet cozido e servir.

sábado, 22 de junho de 2013

Cogumelos recheados com presunto e quinoa

Quando vi este passatempo do A Cozinhar com a Macal, quis logo participar! Mas não foi fácil criar uma receita com presunto que fosse original. Não me vinham as ideias... Mas de repente, surgiu-me esta combinação! E acho que resultou muito bem. Ora vejam!

E já agora, se gostarem da sugestão, sigam o link para esta receita na aplicação do passatempo e carreguem no botão Votar!





Ingredientes:

2 cogumelos portobello grandes
40 g de presunto
75 g de quinoa (pesada depois de cozida)
1 cebola pequena
2 dentes de alho
1 colher de chá de salva picada
Flor de sal qb
Pimenta qb
Azeite qb


Retirar o pé dos cogumelos e desbastar um pouco o interior, picando tudo o que se tirou. Os chapéus são temperados com um fio de azeite, uma pitada de flor de sal e pimenta preta.

Colocar no forno durante 18 minutos a 200º.

Picar a cebola e o alho bem finos.

Refogar em azeite a cebola, o alho e o picado dos cogumelos, até a cebola ficar transparente.

Juntar o presunto cortado em lascas e refogar dois minutos. Adicionar a quinoa cozida e refogar mais dois minutos, para que os sabores se harmonizem.

Retirar do lume e temperar com pimenta preta e três quartos da salva picada (não será necessário acrescentar sal, porque o presunto já é salgado).

Rechear os cogumelos, salpicar com umas folhas de salva picada e servir.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Dip de lentilhas vermelhas

Vi este vídeo do Marmiton e resolvi experimentar esta receita num jantar de família. Fiz umas pequenas adaptações e resultou muito bem!

Faz uma entrada bastante saudável, sem glúten, com poucos hidratos de carbono e cheio de nutrientes bons para a saúde. Mais uma participação para o passatempo do The Wild Kitchen, que nos desafia a confecionar receitas saudáveis.

E no dia em que (supostamente...) começa o verão no hemisfério norte, calha bem uma receita tão fresca!




Ingredientes:

160 g de lentilhas vermelhas
1 cebola
2 dentes de alho
280 g de tomate pelado em lata
1 colher de chá de gengibre moído
2 colheres de chá de coentros moídos
1/2 colher de chá de cominhos moídos
4 colheres de sopa de sumo de limão
3 colheres de sopa de azeite
Sal


Picar a cebola e o alho. Refogar no azeite até ficar transparente.

Acrescentar as especiarias e deixar cozinhar durante dois minutos.

Juntar as lentilhas, o tomate picado com a calda e 250 ml de água. Depois de atingir o ponto de ebulição, baixar para lume brando, tapar e deixar cozer durante cerca de 20 a 25 minutos, mexendo de vez em quando para evitar que pegue. Estará pronto quando a água toda tiver sido absorvida.

Temperar então com sal e triturar com a varinha mágica ou no processador de alimentos, até obter uma textura homogénea.

Deixar arrefecer e adicionar o sumo de limão. Retificar os temperos, se necessário.

Servir com legumes crus (no caso, foi servido com bastões de cenoura e pepino; pode acrescentar-se rabanetes, aipo ou outros legumes que goste de comer crus).

Ao que sobrar, acrescentar um pouco de farinha de trigo ou de grão, moldar hambúrgueres, tapar e levar ao frigorífico de um dia para o outro. À hora de almoço, colocar no forno a 200º durante 30 minutos et voilà! Almocinho feito!



quinta-feira, 20 de junho de 2013

Sopa de cenoura e ervilhas com estragão

O estragão é uma erva aromática com um sabor muito particular; não é muito usada em Portugal, mas é bastante frequente em França e na cozinha inspirada na gastronomia francesa.

É uma erva com muitos minerais, cálcio e ferro e tem um grande poder anti-oxidante. Vale ou não a pena experimentar?




Ingredientes:

1 cebola
2 dentes de alho
1 nabo
1 curgete
10 cenouras
200 g de ervilhas
1 colher de sopa de estragão fresco picado
Sal
Pimenta


Juntar todos os vegetais numa panela e cobrir com água. Levar ao lume até os legumes estarem bem cozidos.

Retirar do fogo, triturar com a varinha mágica até obter um creme e voltar a levar a lume brando, durante 15 minutos, para apurar o sabor.

Retirar do lume, temperar com sal e pimenta e juntar o estragão. Mexer bem.

No momento de servir, polvilhar com mais um pouco de estragão picado.


quarta-feira, 19 de junho de 2013

Pão de mistura de centeio e trigo

Um pãozinho delicioso para um jantar de família, que acompanhou uma boa alheira frita, esse petisco tão português.






Noite do primeiro dia:

120 g de isco de centeio
200 g de farinha de trigo branca
200 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro, cobrir com um saco de plástico e deixar repousar 12 horas.



Manhã do segundo dia:

Pré-fermento do dia anterior
25 g de farinha de centeio
35 g de flocos de centeio
40 g de farinha de trigo integral
435 g de farinha de trigo branca
1 colher de sopa de mel
8 g de sal fino
200 g de água tépida



Juntar as farinhas, os flocos e o sal. Misturar bem e abrir uma cova no meio.

À mistura do dia anterior, juntar o mel e a água morna. Envolver bem.

Verter esta mistura na cova aberta nas farinhas. Tapar com a farinha que fica nas margens, cobrir com um pano e deixar repousar 5 minutos.

Bater em velocidade 2 durante 6 minutos.

Lavar a taça usada no dia anterior e untá-la com azeite. Colocar a massa dentro e virá-la para ficar coberta em todas as faces. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar 5 horas.

Dar umas voltas à massa, formar uma bola e colocar num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar 3 horas.

Dar uns cortes na superfície com uma lâmina afiada. Colocar no forno a 230º durante 20 minutos. Baixar para 200º e deixar cozer mais 30 minutos. Desligar o forno, deixando o pão no seu interior durante mais 15 minutos.

Retirar e deixar arrefecer antes de fatiar.



A côdea ficou linda

terça-feira, 18 de junho de 2013

Bolachas sanduíche

Quando a Manuela nos desafiou este mês para o Vamos Fazer Bolachas alusivo ao dia da criança, pus-me a pensar o que é que são bolachas para crianças. E lembrei-me logo de bolachas sanduíche, que eu tanto gostava de comer (abrindo ao meio para lamber o recheio, pois claro!).

Experimentei fazê-las em casa, com os ingredientes que tinha, e não saíram nada mal! Aqui vos deixo a minha experiência.




Ingredientes:

70 g de pasta de amendoim (feita em casa segundo as instruções do Nem Acredito que é Saudável)
65 g de açúcar amarelo
80 g de açúcar mascavado escuro
2 colheres de sopa de óleo de girassol
1 ovo
180 g de farinha de trigo integral
70 g de farinha de espelta
1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Recheio:

120 g de chocolate preto (sem lactose)
4 colheres de sopa de nata de soja
1/2 colher de sopa de açúcar em pó



Bater o óleo, a pasta de amendoim e o ovo. Em seguida, adicionar os açúcares e mexer bem.

Juntar as farinhas e o bicarbonato de sódio e envolver.

Colocar colheres de massa num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno a 190º durante 14 minutos. Quando retirar do forno, ainda estarão molinhas. Aproveitar para as espalmar com a base de um copo.

Entretanto, derreter o chocolate em banho-maria. Adicionar a nata de soja e o açúcar em pó e envolver bem.

Deixar as bolachas arrefecer um pouco antes de as manusear. Quando estiverem suficientemente solidificadas, juntar duas as duas e rechear generosamente com o chocolate.

Colocar num prato e deixar arrefecer completamente para o chocolate solidificar.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Queques de chocolate com nêspera

Vi esta receita no blogue Flor de Brownie e não resisti! Gosto muito de nêsperas, mas nunca tinha visto nenhum bolo ou sobremesa que as usasse. Esta associação com o chocolate é muito interessante, porque a nêspera dá um toque ácido que se casa muito bem com o doce do chocolate.






Ingredientes:

100 g de chocolate preto (sem lactose)
100 ml de óleo de girassol
2 ovos
120 g de açúcar amarelo
1 colher de sopa de cacau magro em pó
100 g de farinha
1 colher de chá de fermento
3 nêsperas
Açúcar em pó qb


Derreter o chocolate com o óleo em banho-maria.

Bater os ovos com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Adicionar o chocolate derretido e mexer bem.

Juntar a farinha, o cacau e o fermento e envolver bem.

Tirar a casca às nêsperas, abri-las ao meio e descaroçar.

Verter a mistura em formas de queque (rende 5) e colocar uma metade de nêspera por cima de cada um, calcando de modo a que a fruta se enterre um pouco na massa.

Levar ao forno a 180º durante 28 minutos (atenção para não cozer demais, deve ficar húmido).

Polvilhar com açúcar em pó imediatamente antes de servir.

domingo, 16 de junho de 2013

Cevada com legumes e azeitonas

De certeza que já comeram cevada em alguma das suas formas - nem que seja ao beber uma cerveja. Provavelmente, já utilizaram farinha de cevada em pão ou noutras confeções. Mas comer cevada em grão? Foi uma descoberta recente cá em casa e foi um sucesso.

Tem um sabor e uma consistência diferente do arroz ou de outros cereais e faz um belo pratinho vegetariano! Bem carregado de fibras e de selénio, é também uma boa fonte de manganésio e fósforo. Este último é essencial para as pessoas que não comem laticínios, porque assegura uma boa absorção do cálcio.






Ingredientes:

275 g de cevada em grão
1 dente de alho
165 g de feijão frade cozido
1 cenoura
1 cebola
1/2 alho francês (a parte verde)
15 azeitonas verdes
1,2 l de caldo de legumes
1 molho de salsa
Sal
Pimenta
Azeite


Lavar bem a cevada em várias águas até a água sair transparente. Deixar de molho em água limpa durante duas horas.

Demolhar as azeitonas em várias águas para retirar o excesso de sal.

Cozer a cevada no caldo de legumes durante cerca de 30 minutos em fogo médio, juntando o alho em lâminas grossas.

Entretanto, picar e refogar a cebola no azeite. Cortar a cenoura e o alho francês em rodelas e acrescentar ao refogado quando a cebola estiver transparente. Deixar cozer em lume brando.

Quando os legumes estiver bem cozidos, juntar o feijão frade e as azeitonas picadas. Envolver e retirar do lume. Temperar com sal e pimenta.

Quando a cevada tiver absorvido quase toda a água, acrescentar os legumes à panela, mexer e deixar cozer mais alguns minutos. Retirar do lume, juntar a salsa picada e misturar.

sábado, 15 de junho de 2013

Curgete recheada com caril de legumes

Já aqui falei do cabaz PROVE, que no outro dia tive o prazer de ir buscar a uma loja de comércio justo de Lisboa. Este projeto, que procura estabelecer uma relação direta entre produtores e consumidores, foi responsável pelo meu primeiro encontro com uma vaidosa curgete amarela!

Nem sabia que existia tal coisa! Mas de acordo com as minhas pesquisas, é de facto uma espécie de curgete, pouco cultivada em Portugal, mas que começa a aparecer.

Tão linda era ela que a imaginei logo recheada. E assim foi!

Participo com esta receita no passatempo do The Wild Kitchen, que nos propõe a confeção de uma receita saudável. Esta é-o sem dúvida!





Ingredientes:

1 curgete amarela
1 cebola
1 dente de alho
80 g de pimento verde
75 g de milho doce
200 g de beldroegas
1 malagueta
1 colher de chá de cominhos em pó
1 colher de chá de cúrcuma
1 colher de chá de sementes de cebola
100 ml de leite de coco
Sal
Pimenta
Azeite


Abrir a curgete ao meio, no sentido longitudinal. Com uma colher, escavar o interior, tendo o cuidado de não rasgar a pele.

Colocar as metades num prato de ir ao forno untado com azeite, salpicar com sal e pimenta e reservar.

Refogar no azeite a cebola e o alho picados, juntamente com o pimento cortado aos cubinhos e a malagueta aberta ao meio.

Quando a cebola estiver transparente, acrescentar os cominhos, a cúrcuma e as sementes de cebola e mexer durante dois minutos.

Adicionar o milho, o miolo da curgete e as beldroegas cortadas. Baixar o lume, tapar e deixar cozinhar durante 15 minutos.

Retirar do lume, temperar de sal e envolver o leite de coco.

Colocar metade da mistura em cada uma das metades da curgete.

Levar ao forno a 200º durante 20 minutos.


sexta-feira, 14 de junho de 2013

Um passatempo e pepino frito com maionese de estragão

Pepino frito? Sim, pepino frito! Uma delícia vinda ali dos lados da revista Saveur. Uma utilização diferente e engraçada deste vegetal, que cá em casa praticamente só se usava para saladas. Encontrei assim uma nova forma de o usar!

Já se sabe que eu gosto de coisas diferentes, inesperadas, associações inéditas, ingredientes novos, técnicas inusitadas. Por isso, para celebrar os 1000 Gostos que foram atingidos na semana passada na página de Facebook do Cozinhar Sem Lactose, proponho-vos um desafio! (DESAFIO FECHADO)


Aqui fica o regulamento do passatempo:

1 - Confecionar uma receita sem lactose que, para além disso, cumpra um dos seguintes critérios:

a) Utiliza um ingrediente que nunca foi utilizado aqui no blogue (usem a caixa de pesquisa no canto superior esquerdo para se certificarem); ou
b) Apresenta uma associação de sabores inesperada / original; ou
c) Utiliza uma técnica nunca experimentada aqui no blogue; ou
d) Usa um ingrediente de forma diferente e surpreendente, como o pepino frito de hoje;

2 - Publicar a receita com fotografia no seu blogue, com a referência ao Cozinhar Sem Lactose e o link para este post;

3 - Se não tiver blogue, enviar a foto e a receita através da página de Facebook do Cozinhar Sem Lactose;

4 - Colocar nos comentários deste post o link de participação ou o link do post no Facebook;

5 - O passatempo decorre de dia 14 de Junho até dia 20 de Julho (DESAFIO FECHADO); a receita vencedora será anunciada no dia 25 de Julho, aqui no blogue e através da página do Facebook;

6 - Cada participante deve ter morada em Portugal (ou ter alguém com morada em Portugal que possa receber o prémio caso seja o vencedor) e pode concorrer com uma ou mais receitas;

7 - A receita vencedora será escolhida de acordo com o critério da surpresa e da originalidade;  ganha aquela que mais surpreender e que deixar o júri mais ansioso por testar;

8 - O prémio será um livro de cozinha, Allergy-Free Desserts, de Elizabeth Gordon, e dois saquinhos de bolachas caseiras sem lactose. Com este livro, nunca mais poderão dizer que não sabem fazer sobremesas para os amigos / familiares intolerantes ou alérgicos!





Aguardo com expetativa as vossas participações! Vejam aqui o álbum das participações no Facebook.

E agora, vamos à receita de hoje!






Ingredientes:

375 g de pepino (1 pepino e meio)
100 g de farinha de milho
1 colher de chá de fermento
1/2 colher de chá de sal
1 colher de chá de pimentão doce
1 colher de chá de alho em pó
1 pitada de piri-piri
Pimenta preta
Óleo para fritar qb

Maionese:

3 colheres de sopa de maionese light
2 colheres de sopa de nata de soja
1 colher de sopa de estragão picado
2 dentes de alho picados
30 g de cebola picada
Sumo de meio limão
Sal
Pimenta preta


Lavar bem o pepino. Sem descascar, cortar ao meio no sentido longitudinal. Tirar as sementes e cortar em palitos grossos.

Misturar a farinha de milho com o fermento, o sal e as especiarias. Colocar num saco de plástico. Colocar o pepino e abanar até os pedaços ficarem completamente cobertos.

Numa frigideira, levar o óleo ao lume até ficar bem quente. Fritar o pepino em grupos de 6 ou 7 palitos, até dourar. Retirar com uma escumadeira e deixar absorver o excesso de óleo em papel absorvente.

Numa taça, misturar os ingredientes para a maionese. Mergulhar o pepino frito no molho e degustar!


quinta-feira, 13 de junho de 2013

Bolachas de pistácio, lima e cardamomo

Uma receita utilizando um fruto seco que não costuma aparecer muito cá em casa. A associação de sabores resulta muito bem e dá um toque exótico a estas bolachas.








Ingredientes:

70 g de pistácio descascado
180 g de farinha de trigo integral
100 ml de óleo de girassol
140 g de açúcar amarelo
1 ovo
1 colher de chá de aroma de baunilha
10 vagens de cardamomo verde
Raspa de duas limas
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio



Moer o pistácio. Abrir os cardamomos e moer as sementes no almofariz, descartando as vagens.

Bater o ovo com o aroma de baunilha. Adicionar o óleo de girassol, mexer, e em seguida juntar o açúcar amarelo. Acrescentar o pistácio moído, o cardamomo e a raspa da lima.

Juntar a farinha e o bicarbonato de sódio e envolver bem com uma colher de pau.

Em tabuleiros forrados com papel vegetal, colocar colheres de massa e espalmar com as costas de uma colher.

Levar ao forno a 180º durante 15 minutos.


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Tarte de batata doce

Adorei esta ideia do Grandbaby Cakes. E com as maravilhosas batatas doces que nos chegam da zona de Aljezur, não podia deixar de experimentar a receita. Adaptada, claro, para intolerantes à lactose!

Esta é direitinha para a celebração do Santo António!





Ingredientes:

1 base de massa folhada (sem lactose)
3 batatas doces (cerca de 500 g)
60 g de açúcar mascavado escuro
140 g de açúcar amarelo
2 ovos
50 ml de óleo de girassol
125 ml de leite de coco
1/2 colher de chá de noz moscada
1/2 colher de chá de canela
1 colher de chá de aroma de baunilha
Uma pitada de sal


Cozer as batatas doces inteiras, com casca em água suficiente até ficarem tenras.

Escorrer e deixar arrefecer.

Tirar a casca e esmagar com um garfo.

Bater a batata doce com o óleo de girassol e os açúcares. Juntar os ovos e bater bem.

Adicionar o leite de coco, as especiarias, o sal e a baunilha.

Forrar uma forma de tarte com a massa folhada. Verter o recheio, descartando os filamentos que ficarem agarrados à vareta da batedeira.

Levar ao forno a 190º durante 40 minutos.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Bolo de amêndoa com alperces

Alperces! Esse fruto delicioso que eu espero ansiosamente desde o momento que começa a primavera. É sem dúvida um dos meus frutos preferidos, gosto de o comer ao natural, em batidos com leite de soja, em bavaroises e às vezes em bolos. No fim da época, aproveito sempre para fazer compota, para poder ter o seu sabor ainda algum tempo durante o outono.

É um dos frutos de que eu mais sinto falta. Por isso, quando começam a aparecer, maduros e com uma cor escurinha, têm sempre um lugar cá em casa - e nunca se estragam!



Ingredientes:

4 ovos
70 g de miolo de amêndoa com pele
130 g de miolo de amêndoa sem pele
180 g de açúcar amarelo
85 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento
4 alperces bem maduros (cerca de 250 g depois de descaroçados)


Moer a amêndoa.

Bater as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado.

Adicionar a amêndoa moída e misturar bem. Juntar a farinha e o fermento. Obter-se-á uma massa bastante dura.

Bater as claras em castelo bem firme. Envolver com a mistura anterior, primeiro usando a batedeira e continuando depois com a colher de pau.

Descaroçar os alperces e cortá-los em quatro. Adicionar à mistura anterior.

Verter para uma forma de bolo inglês e levar ao forno a 180º durante 55 minutos.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Salmão com laranja e amêndoas

Uma receita muitas vezes repetida cá em casa e sempre apreciada. O salmão é sempre um peixe popular e faz uns pratos muito gourmet.






Ingredientes:

2 lombos de salmão
1 laranja
8 g de gengibre fresco
20 g de amêndoas laminadas
1 colher de sopa de amido de milho
1 colher de sopa de salsa picada
Azeite
Pimenta
Sal


Raspar a casca da laranja e espremer o sumo. Ralar o gengibre. Misturar o sumo com a raspa da laranja e o gengibre, temperar com pimenta preta e marinar o salmão neste molho durante 30 minutos.

Colocar a farinha num prato de sopa. Escorrer o salmão e envolver na farinha.

Aquecer o azeite e dourar os lombos de salmão de ambos os lados. Quando estiverem dourados, salpicar com flor de sal, acrescentar a marinada e deixar refogar em lume baixo durante 10 minutos. Quando reduzir o molho, desligar o lume e salpicar com salsa picada.

Dourar a amêndoa numa frigideira, sem acrescentar gordura. Empratar o peixe, colocar o molho por cima e salpicar com a amêndoa.

Servir com batatas assadas no forno e legumes cozidos.


domingo, 9 de junho de 2013

Sopa de beldroegas

Beldroegas lembram-me invariavelmente o Alentejo. Não é fácil encontrá-las em Lisboa, mas com o projeto PROVE, agora já não é impossível.

Quando fui buscar o meu primeiro cabaz, ia expectante - o que será que faria parte do conjunto? Vim muito satisfeita, com produtos com bom ar, acabados de colher, cultivados localmente e de forma tradicional. Mas as estrelas deste cabaz foram sem dúvida as beldroegas, que há tanto tempo já não comia, e a curgete amarela, que nunca havia visto, e que acabou recheada com caril de legumes.





Ingredientes:

400 g de beldroegas
1 cebola
2 dentes de alho
1 nabo grande
1 batata
15 cenouras
Sal
Pimenta


Juntar a cebola, o alho, o nabo, a batata e as cenouras numa panela com água suficiente para cobrir os legumes. Levar ao lume até estarem bem cozidos.

Triturar com a varinha mágica. Acrescentar as beldroegas, lavadas e partidas, e voltar a levar ao lume.

Cozer em lume brando durante 20 minutos. Retirar do calor e temperar com sal e pimenta.




O cabaz continha cebolas, batatas, cenouras, nectarinas, bróculos, morangos, 
alface, coentros, beldroegas, curgete e espinafres

sábado, 8 de junho de 2013

Chapatas de cevada

Mais um pãozinho a sair do forno, desta feita com um formato diferente, que ainda não havia experimentado. Ficou saboroso e com uma textura ótima!





Noite do primeiro dia:

120 g de isco de trigo integral
200 g de farinha de trigo integral
200 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro, tapar com um saco de plástico e deixar repousar à temperatura ambiente durante 12 horas.



Manhã do segundo dia:

Pré-fermento do dia anterior
35 g de farinha de cevada
35 g de flocos de cevada tostados
40 g de farinha de trigo integral
440 g de farinha de trigo branca
1 colher de sopa de mel de cana
200 g de água tépida
8 g de sal fino


Juntar as farinhas, os flocos e o sal. Misturar bem e abrir uma cova no meio.

Juntar a mistura do dia anterior ao mel e à água. Verter na cova aberta nas farinhas.

Bater na batedeira profissional a velocidade 2 durante 7 minutos.

Lavar a taça de vidro usada no dia anterior, untar com azeite e colocar aí a massa. Rodá-la em todos os sentidos para ficar totalmente barrada com a gordura.

Colocar a taça dentro de um saco de plástico e deixar repousar durante 4 horas.

Ao fim desse tempo, dar umas voltas à massa, dobrando-a sobre si mesma 3 a 4 vezes. Voltar a tapar e deixar repousar mais duas horas.

Ao fim desse tempo, formar pequenos cacetes (rende quatro) e colocá-los num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal, bem separados uns dos outros para não se pegarem.

Tapar com um pano húmido e deixar repousar mais três horas.

Dar uns cortes no centro dos pães e levar ao forno a 230º durante 20 minutos. Baixar a temperatura para 190º e deixar mais 30 minutos.

Desligar o forno, deixando os pães no seu interior para terminar a cozedura. Retirar e deixar arrefecer antes de cortar.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Biscoitos de quinoa, goji e amêndoa

Descobri umas bolachas no site Bon Appétit que me chamaram a atenção e resolvi adaptar, fazendo algumas alterações. Ficam uns biscoitos fofinhos e saborosos, excelente para o lanche.

Já usei quinoa em tudo e mais alguma coisa: bolos, pão, tartes salgadas, almôndegas, hambúrgueres... Aqui fica mais uma sugestão!




Ingredientes:

125 ml de óleo de girassol
125 g de açúcar amarelo
1 colher de sopa de mel
2 ovos
1 colher de chá de aroma de baunilha
1/2 colher de chá de essência de amêndoa
100 g de flocos de aveia
240 g de quinoa cozida (pesada após a cozedura)
40 g de bagas goji
80 g de amêndoa laminada
185 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento
Uma pitada de sal


Amolecer as bagas goji em água quente durante um minuto. Retirar da água e reservar.

Bater o óleo com o açúcar e o mel. Em seguida, juntar os ovos, a baunilha e a essência de amêndoa.

Adicionar a quinoa, a aveia, as bagas goji e a amêndoa laminada e envolver bem.

Finalmente, juntar a farinha, o fermento e o sal e misturar.

Em tabuleiros forrados com papel vegetal, colocar com uma colher pequenas porções de massa, com espaço entre elas para poderem crescer. Levar ao forno a 190º durante 15 minutos.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Queques de mel, aveia e cardamomo

Mais uns bolinhos para o lanche do meio da manhã que foram um grande sucesso de bilheteira. A receita original veio do blogue Within the Kitchen e não resisti a adaptá-la!






Ingredientes:

2 colheres de sopa bem cheias de mel
75 g de flocos de aveia
1 colher de chá de aroma de baunilha
1/2 colher de chá de canela em pó
10 cardamomos verdes
1 ovo
125 ml de óleo de milho
30 g de açúcar amarelo
115 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento
Uma pitada de sal
50 ml de nata de soja


Abrir os cardamomos, descartar as cascas e moer as sementes.

Juntar o mel, os flocos de aveia, a baunilha, a canela e o cardamomo moído numa panela anti-aderente. Levar ao lume e deixar levantar fervura; em lume brando, fervilhar durante 1 minuto.

Numa taça de vidro, bater o óleo e o ovo. Adicionar o açúcar e voltar a bater.

Juntar a farinha, o fermento e o sal. Acrescentar em seguida a mistura do mel com a aveia. Finalmente, adicionar a nata de soja.

Verter em formas de muffin (rende 5 muffins) e levar ao forno a 180º durante 30 minutos.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Frango recheado com cuscuz

Todos os portugueses têm uma "terra". Um local onde temos família, normalmente uma zona rural, onde íamos passar as férias em pequenos, onde há avós ou tias que ainda cultivam a terra, criam animais, plantam batatas, fazem chouriças. Eu tenho uma terra, fica na Beira Alta e quando lá vou venho carregada de coisas boas.

Da última vez tive direito a um frango do campo, criado pela minha tia. E não podia ter melhor para fazer esta receita, adaptada do livro The food of Morocco, de Tess Mallos (editora Murdoch Books). Mais uma utilização do limão em conserva que vos mostrei aqui e que faz deste frango recheado uma delícia das mil e uma noites.







Ingredientes:

1 frango do campo inteiro
2 colheres de chá de pimentão doce
250 ml de caldo de galinha
130 g de cuscuz
40 g de amêndoa laminada
1/4 de limão em conserva
1 colher de sopa de mel
1 colher de chá de azeite
1/2 colher de chá de canela
Sal
Pimenta


Lavar bem o frango e limpar o interior com papel de cozinha.

Temperar com sal e pimenta e polvilhar o pimentão doce. Com as mãos, esfregar bem, de modo a ficar coberto com os temperos.

Colocar o cuscuz numa taça de vidro e verter por cima 250 ml de água a ferver. Tapar com um prato e deixar repousar 10 minutos.

Entretanto, dourar as amêndoas numa frigideira (sem acrescentar gordura). Quando começarem a ficar douradas, retirar do lume.

Picar o limão em conserva em pedaços pequenos.

Quando o cuscuz tiver absorvido toda a água, separar os grãos com um garfo. Em seguida, juntar a amêndoa, o limão, a canela, o mel e o azeite. Misturar tudo muito bem com o garfo.

Rechear o frango com este preparado.

Num tabuleiro de ir ao forno, colocar o frango e verter o caldo de galinha à volta.

Levar ao forno a 200º durante 1 hora e 45 minutos, regando com o molho à volta algumas vezes durante a cozedura, para não secar. No fim desse tempo, desligar o forno, tapar o frango com papel vegetal e deixar repousar no interior do forno mais 20 minutos.





Acabado de assar

terça-feira, 4 de junho de 2013

Panquecas de batata e curgete com espinafres e chouriço

Esta apresentação foi uma invenção do momento, baseada numa entrada que há uns anos um amigo fez num jantar. Sem glúten e sem lactose, perfeito para qualquer refeição, pode ser feito em várias versões - por exemplo, o chouriço pode ser substituído por salmão fumado.

As pequenas panquecas de batata com curgete, sozinhas, são presença assídua nos brunchs de fim-de-semana. Aqui, acompanhadas, ficam com mais classe!






Ingredientes:

2 batatas
1/3 de curgete
1 colher de chá de mostarda
1 colher de sopa de farinha de grão
60 g de espinafres (pesados depois de cozidos e escorridos)
8 fatias de chouriço
Sal
Pimenta
Azeite


Ralar as batatas e a curgete. Escorrer o excesso de água.

Juntar a mostarda e a farinha de grão e envolver bem. Temperar com sal e pimenta.

Aquecer um fio de azeite numa frigideira anti-aderente; quando estiver quente, colocar pequenas porções de massa. Quando dourar de um lado, virar ao contrário e espalmar com uma escumadeira, tendo cuidado para não partir as panquecas.

Voltar a virar e espalmar uma segunda vez. Virar de novo para acabar de dourar e em seguida reservar, mantendo quente.

Repetir a operação para acabar a mistura (rende oito panquecas com cerca de 6 - 7 centímetros de diâmetro).

Dispor numa travessa e repartir os espinafres pelas oito panquecas.

Fritar as fatias de chouriço na mesma frigideira, sem acrescentar gordura. Colocar uma fatia em cada panqueca, por cima dos espinafres.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Pão de batata

Este pão de batata é uma verdadeira maravilha. Cheio de aroma e de sabor, com a humidade certa para ser servido de acompanhamento com um prato com muito molho, como uma ratatouille ou um guisado, faz as delícias cá de casa.

A inspiração veio de um blogue que entretanto deixou de existir, mas felizmente ficou a receita! Aqui a deixo, com as devidas adaptações.






 Noite do primeiro dia:

120 g de isco de trigo integral
200 g de farinha de trigo branca
200 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro, tapar com um saco de plástico e deixar repousar 12 horas à temperatura ambiente.


Manhã do segundo dia:

Pré-fermento do dia anterior
45 g de farinha de centeio
95 g de farinha de trigo integral
410 g de farinha de trigo branca
175 g de batata com casca
1 colher de sopa de mel
7 g de sal
105 g de água tépida



Juntar as farinhas e o sal. Mexer bem e abrir uma cova no meio.

Lavar bem a batata e ralar com a casca. Juntar a batata ralada com a mistura do dia anterior, adicionando também o mel. Misturar bem e juntar a água.

Verter esta mistura na cova aberta nas farinhas.

Bater na máquina a velocidade 2 com a vareta de amassar, até os ingredientes ficarem bem misturados (cerca de 6 minutos).

Lavar a taça de vidro do dia anterior e untar com azeite. Colocar a massa, rodá-la para a cobrir de azeite e tapar com um saco de plástico. Deixar repousar à temperatura ambiente cerca de 8 horas e meia.

A meio desse tempo, voltar a dar uma voltas à massa como se explica aqui.

Aquecer o forno a 250º. Entretanto, colocar a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal e dar um corte com uma faca afiada.

Quando o forno atingir a temperatura, baixar para 230º e borrifar bem com água. Colocar o pão dentro do forno e deixar cozer dez minutos.

Voltar a borrifar. Deixar cozer mais dez minutos.

Baixar a temperatura para 200º e cozer durante 30 minutos. Ao fim desse tempo, desligar o forno e deixar o pão dentro a acabar a cozedura, durante mais 10 minutos.

Retirar e deixar arrefecer antes de fatiar.

domingo, 2 de junho de 2013

Muffins de chocolate e whisky

Uma adaptação de uns muffins do blogue Cook Addiction, que vale mesmo uma visita. Estes serviram para o lanche a meio da manhã durante a semana e foram muito apreciados!

Já conhecem a página de Facebook do Cozinhar sem Lactose? Estamos perto dos 1000 Gostos! Quando lá chegarmos, vou lançar um passatempo e espero que todos vocês participem!

Entretanto, fiquem com o último dos bolinhos desta doce semana.





Ingredientes:

50 g de chocolate negro (sem lactose)
160 g de farinha de trigo integral
4 colheres de sopa de chocolate em pó (sem lactose)
50 g de açúcar amarelo
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de fermento
75 ml de óleo de girassol
150 ml de leite de soja
1 ovo
5 colheres de sopa de whisky


Num almofariz, partir o chocolate em pedaços.

Juntar a farinha, o chocolate em pó, o fermento, o bicarbonato e o açúcar. Reservar.

Bater o ovo com o óleo, juntando em seguida o leite e o whisky.

Juntar as duas misturas. Envolver com cuidado os pedaços de chocolate.

Colocar em formas de muffin ou mini-muffin e levar ao forno a 200 º durante cerca de 20 minutos.


sábado, 1 de junho de 2013

Bolo de morangos

Um fantástico bolo de morangos do Manila Spoon! Porque estamos na época deles, merecem destaque, comidos ao natural, polvilhados com açúcar, em batidos com leite de soja, em sobremesas...

Deliciem-se!







Ingredientes:

270 g de morangos arranjados, cortados em pedaços
305 g de farinha de trigo integral + 1 colher de sopa
1 colher de chá de fermento
1 pitada de sal
3 ovos
215 g de açúcar amarelo
Raspa de um limão
3 colheres de sopa de sumo de limão
1 colher de chá de aroma de baunilha
150 ml de óleo de girassol
100 ml de nata de soja (ou iogurte de soja natural ou de baunilha)



Bater os ovos ligeiramente. Acrescentar o açúcar a mexer energicamente, até obter um creme.

Depois de bater alguns minutos, juntar a baunilha, a raspa e o sumo do limão, o óleo e a nata de soja.

Quando a mistura estiver homogénea, acrescentar a farinha, o fermento e o sal. Bater bem.

Salpicar os morangos com uma colher de sopa de farinha e envolver na mistura anterior.

Levar ao forno a 180º durante 55 minutos, até ficar bem dourado por cima.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...