quarta-feira, 31 de julho de 2013

Bolachas de castanha do Brasil, lima e chocolate

Mais umas bolachas a sair da minha cozinha, para premiar os vencedores do Passatempo dos 1000 Gostos. Pensando neles, juntei estes ingredientes, que me parecem combinar tão bem - o chocolate, que sempre casa bem com os citrinos, e a castanha do Brasil, a dar o toque especial. Seguiram em pacotinhos feitos com todo o carinho - espero que os destinatários gostem deste mimo!




Ingredientes:

145 g de castanha do Brasil
1 lima (raspa e sumo)
190 g de farinha de trigo integral
1 ovo
85 g de chocolate preto (sem lactose)
130 g de açúcar amarelo
80 ml de óleo de milho
1 colher de sopa de amido de milho
1 colher de chá de fermento


Partir o chocolate em pepitas usando o almofariz.

Moer a castanha do Brasil. Ralar a casca da lima e espremer o sumo.

Bater o ovo com o óleo e o açúcar. Juntar a raspa e o sumo da lima, a castanha moída, a farinha, o fermento, o amido e amassar. Adicionar as pepitas de chocolate e envolver bem.

Dispor pequenas porções de massa em tabuleiros forrados com papel vegetal. Levar ao forno a 190º durante 16 minutos.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Muffins de cenoura e ananás

Fruta, legumes, farinha integral, pouca quantidade de gordura e de açúcar, sementes de girassol - estes muffins podem bem ser considerados uma receita saudável!

Também podem ser feitos com ananás em lata, se houver dificuldade em encontrá-lo fresco ou se se tiver três fatias de ananás em lata que sobrarem de outra receita.







Ingredientes:

225 g de farinha de trigo integral
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 1/2 colheres de chá de canela
Uma pitada de sal
105 g de açúcar amarelo
150 ml de óleo de girassol
200 g de cenouras cozidas em puré
2 colheres de sopa do sumo libertado pelo ananás
1 ovo
1 colher de chá de aroma de baunilha
125 g de ananás aos cubinhos
50 g de sementes de girassol


Misturar a farinha, o sal, o bicarbonato, o açúcar a canela numa tigela.

Noutra, misturar os líquidos - o óleo, o puré de cenoura, o sumo de ananás, o ovo e o aroma de baunilha.

Juntar as duas misturas e bater bem.

Envolver os cubos de ananás e dividir em formas de muffin (rende 6 - 7 bolinhos) ou mini-muffin. Polvilhar com as sementes de girassol.

Levar ao forno a 180º durante 25 minutos.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Frango assado em cama de pão

As despedidas são experiências agri-doces. São momentos em que o que une as pessoas se intensifica, mas são também ocasiões em que se vive a angústia da separação. Há pessoas que preferem evitar esses momentos; há pessoas que se emocionam, que choram, que reafirmam o seu amor pela pessoa de quem se vão separar; há pessoas que fazem de conta que não é nada de mais; há pessoas que fazem jantares de despedida, porque nada melhor do que a comida para falarmos do amor que nos une às pessoas importantes para nós.

Vi esta receita no Diga Maria e resolvi adaptar. Ficou um frango bem saboroso para um jantar especial - um jantar de despedida.






Ingredientes:

4 coxas de frango
4 pernas de frango
1 cebola
2 tomates
4 dentes de alho
4 colheres de sopa de salva picada
2 limas
6 fatias de pão de mistura
6 fatias de broa de milho
Sal
Pimenta
Azeite



Numa taça de vidro, juntar o frango, os alhos picados, o sumo das limas e a salva picada. Temperar com pimenta e misturar bem. Deixar marinar duas horas.

Cortar a cebola em oito e o tomate em cubos.

Untar com azeite uma assadeira. Dispor as fatias de pão no fundo. Por cima, colocar a carne, reservando a marinada, e temperar com sal. Por cima, espalhar a cebola e o tomate.

Regar com a marinada, acrescentar mais uma pitada de sal e levar ao forno a 200º durante 55 minutos.

domingo, 28 de julho de 2013

Pescada à Bulhão Pato

Toda a gente já comeu amêijoas à Bulhão Pato! Mas pescada à Bulhão Pato? O mesmo molho funciona lindamente com este peixe e faz um jantar bem saboroso e saudável.

Lembro-me desta receita de um restaurante onde ia há muitos anos, perto de um sítio onde trabalhei em tempos. O único problema é que nesse lugar, o cozinheiro abusava do azeite! Mas sempre pensei que queria replicar a receita em casa, à minha moda. Foi o que fiz na altura e depois passei anos sem voltar a fazer este prato. Hoje deu-me para aqui, e que boa ideia!





Ingredientes:

4 lombos de pescada (cerca de 400 g)
1 colher de chá de mostarda à antiga
100 ml de azeite
6 dentes de alho
2 colheres de sopa bem cheias de coentros picados
4 batatas grandes
Sumo de meio limão
Sal
Pimenta


Colocar uma panela com água e sal a ferver. Entretanto, lavar e pelar as batatas e cortá-las aos cubos.

Quando a água ferver, juntar as batatas e deixar cozer durante cinco minutos. Findo esse tempo, escorrer e reservar.

Numa taça, juntar o azeite, a mostarda, o sumo de limão, os alhos picadinhos e os coentros, também picados. Misturar bem. Temperar com sal e pimenta.

Colocar o peixe no centro de um pirex de ir ao forno. Por cima, verter o molho, cobrindo bem os lombos. À volta, dispõem-se as batatas.

Levar ao forno a 200º durante 35 minutos. A meio, virar as batatas (mas não o peixe).

Servir com uma salada mista.

sábado, 27 de julho de 2013

Caril vegetariano

Uma refeição vegetariana que faz as delícias do pessoal cá de casa. Não fica ninguém a pedir carne ou peixe e a combinação das especiarias é mesmo do além.




Ingredientes:

1 cebola
3 dentes de alho
1 malagueta
1 cenoura
1/2 alho francês (a parte branca)
100 g de cogumelos portobello (ou outros)
150 g de bróculos
170 g de couve flor
170 g de ervilhas tortas
1/2 colher de chá de feno grego
1 colher de chá de cominhos
1/2 colher de chá de sementes de cebola
1 colher de chá de cúrcuma
7 folhas de caril
400 ml de leite de coco
Sal
Óleo de girassol


Colocar a ferver uma panela com água e sal.

Cortar a cebola e o alho francês em rodelas. Partir a couve flor e os bróculos em raminhos pequenos. Tirar o fio das ervilhas tortas e cortar em dois.

Quando a água estiver a ferver, colocar os legumes e cozer sete minutos. Escorrer e reservar.

No wok, colocar um fio de óleo de girassol e refogar a cebola e os alhos picados, juntamente com a malagueta cortada ao meio.

Quando a cebola estiver dourada, acrescentar as especiarias e refogar dois minutos em fogo médio, para as especiarias abrirem. Adicionar os cogumelos.

Quando os cogumelos tiverem murchado, adicionar os restantes legumes. Envolver bem e deixar cozer em lume brando durante 15 minutos.

Acrescentar o leite de coco. Assim que levantar fervura, desligar e temperar de sal.

Servir com arroz basmati.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Gaspacho à Tapas

Este gaspacho é uma receita do blogue Tapas na Língua. Se ainda não conhecem, vale a pena - as receitas são fantásticas e as fotos deliciosas. Numa destas noites de verão, resolvi fazer - pela primeira vez! - um gaspacho cá em casa. Segui a receita, mas fiz algumas adaptações ao gosto cá de casa. Aqui a deixo!




Ingredientes:

1 kg de tomate
1/2 pimento verde
1 cebola pequena
3 dentes de alho
1 pepino
30 g de miolo de amêndoa sem pele
2 colheres de sopa de azeite
3 colheres de sopa de vinagre
Sal
Pimenta
Oregãos


Dar uns cortes em cruz na pele dos tomates. Verter sobre eles água a ferver, até os cobrir, e deixar repousar tapado alguns minutos. Desta forma, a pele vai escaldar e será muito mais fácil descascá-los.

Retirar a pele a partir dos cortes que se fez. Abrir ao meio e descartar as sementes.

Colocar a polpa do tomate no liquidificador. Triturar até obter um sumo.

Acrescentar o pimento, lavado e sem sementes, a cebola cortada ao meio e o pepino, sem casca. Triturar de novo.

Juntar a amêndoa e o alho, voltar a triturar até obter uma consistência homogénea.

Verter o líquido para uma taça. Acrescentar água a gosto - nós gostamos do gaspacho mais cremoso, acrescentei apenas 300 ml de água.

Temperar com sal, pimenta e oregãos. Adicionar o azeite e o vinagre e envolver bem.

Levar ao congelador durante 30 minutos para ficar bem frio.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Muffins de castanha do Brasil, cereja e chocolate

Na época das cerejas, temos que aproveitar para as usar em receitas deliciosas como esta: uns muffins para o lanche a meio da manhã, que ficaram bem saborosos. É uma receita vegan, que para além disso, não usa produtos à base de soja, e foi inventada num dia de inspiração. O forno já estava ligado para cozer uma tarte para levar para um lanche, então porque não aproveitar para fazer muffins?

Tinha uma embalagem de castanha do Brasil para usar, fruto seco que nunca tinha utilizado antes. Fiquei contente com o resultado desta associação com as cerejas e o chocolate! Uma receita inédita, perfeita para anunciar os resultados do Passatempo dos 1000 Gostos, que surgem a seguir à receita do dia!





Ingredientes:

100 g de castanha do Brasil
210 g de cerejas descaroçadas (equivale a cerca de 40 cerejas)
90 g de chocolate preto (sem lactose)
35 g de sementes de linhaça
100 ml de óleo de milho
100 ml de "natas" de arroz
1/2 colher de chá de vinagre de cidra
165 g de açúcar amarelo
1 colher de chá de aroma de baunilha
130 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento
Uma pitada de sal


Juntar as "natas" de arroz com o vinagre. Deixar repousar.

Moer as sementes de linhaça e juntar 4 colheres de sopa de água. Misturar bem e reservar.

Moer a castanha do Brasil até obter farinha. Partir o chocolate em pepitas, usando o almofariz. Descaroçar as cerejas.

Bater o açúcar com o óleo. Juntar o aroma de baunilha e a linhaça. Em seguida, adicionar a nata com o vinagre e a castanha moída. Bater bem.

Adicionar então a farinha e o fermento. Bater até obter uma mistura homogénea.

No final, adicionar as cerejas descaroçadas e partidas ao meio e as pepitas de chocolate. Envolver bem.

Verter a mistura em formas de muffin (rende 7 a 8 muffins) e levar ao forno a 200º durante 20 minutos.


_____________________________________________


E os vencedores?

Foi muito difícil escolher! Todas as 32 receitas cumprem os critérios de validação - todos sem lactose e todos usando ingredientes novos ou associações inéditas. Já os critérios de atribuição dos prémios eram a originalidade e a surpresa. Muitas das receitas tinham estas características, mas chegámos à conclusão que algumas entre elas eram especialmente surpreendentes.

De facto, os vencedores cumpriram esses critérios na perfeição, já que tivémos muita vontade de experimentar imediatamente as receitas apresentadas.

São cinco e todos eles merecem mesmo esta distinção! Vamos ver:

1º prémio - livro Allergy-Free Desserts - Delícias Cá da Casa com a Tapioca Doce com Praliné de Coco e Quenelle de Chocolate
2º prémio sobremesa - bolachas caseiras sem lactose - Aroma de Café com o Creme Bicolor com Tremoços e Fruta
2º prémio prato principal - bolachas caseiras sem lactose - SweetAffair com Crostini de Presunto e Vinagrete de Nectarinas
3º prémio sobremesa - bolachas caseiras sem lactose - Flores de Oliveira com Musse de Coco e Amêndoa com Compota de Cerejas
3º prémio prato principal - bolachas caseiras sem lactose - Sweet Gula com Risotto de Alcachofra com  Tomate Seco



Obrigada a todos os que participaram! Não era um desafio nada fácil! Mas valeu a pena e trouxe para a minha cozinha muitas receitas deliciosas e muito boas ideias!

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Kebab de frango

Toda a gente conhece o kebab - as famosas espetadas turcas, mas não só, porque também se fazem no Líbano, na Grécia e noutros países. Mesmo quem não conhece este tipo de cozinha, alguma vez já comeu estas espetadas, normalmente retiradas do espeto e servidas em pão pita com molho de iogurte e menta.

Esta é a minha versão de frango, servida em tortilhas mexicanas e ideal para ser comida com as mãos.

Aproveito para participar n'A Escolha do Ingrediente, iniciado pela Tertúlia da Susy, que este mês é promovido pelo Prazeres Saudáveis!





Ingredientes:

3 peitos de frango
1 cebola pequena
3 dentes de alho
2 colheres de sopa de salsa picada
1 colher de sopa de sumo de limão
1/2 colher de chá de pimentão doce
1/2 colher de chá de paprika picante
1/2 colher de chá de cominhos
1 colher de chá de flor de sal
1/2 alface
1/2 pepino
6 tortilhas mexicanas (pode obviamente substituir-se por pão pita)
6 espetos de madeira
Pimenta preta
Azeite

Molho:

1 colher de sopa de maionese
6 colheres de sopa de nata de soja
1 dente de alho
1 colher de sopa de hortelã picada
Pimenta preta


Picar o frango na picadora. Picar finamente a cebola e os alhos.

Juntar a carne moída, a cebola, o alho, as especiarias, o sumo de limão e a salsa. Misturar bem. Temperar com flor de sal e pimenta preta. Levar ao frigorífico durante meia hora para os sabores casarem.

Demolhar os espetos em água fria durante dez minutos.

Ligar o forno em modo grill e formar  com a carne doze bolinhas alongadas. Colocar nos espetos duas a duas. Levar ao forno numa grelha (ou, em alternativa, num tabuleiro forrado com papel vegetal) durante 12 minutos, virando a meio para cozer uniformemente.

Entretanto, prepara-se o molho, juntando todos os ingredientes e misturando bem.

Lavar a alface e cortar em juliana. Cortar o pepino em palitos grossos. Aquecer as tortilhas - ou uma a uma numa frigideira anti-aderente, sem acrescentar gordura; ou no micro-ondas, todas juntas, dentro da embalagem (semi aberta), em potência máxima durante 45 segundos.

Dispor as tortilhas e dividir entre elas a alface e o pepino. Colocar duas almôndegas em cada uma e distribuir o molho por cima. Fechar, fazendo uma dobra na parte inferior, e depois dobrando as laterais sobre si próprias. Assim, o molho não escapa enquanto se come.

Para uma versão mais "suja", enrolar apenas as laterais sobre si próprias, como tacos, e preparar-se para sujar as mãos. :-)




terça-feira, 23 de julho de 2013

Tarte com quinoa e vegetais

Nesta tarte, a humidade da quinoa permite reduzir a quantidade de ovos usados. Fica com uma textura muito agradável, vale a pena experimentar. Pode fazer um acompanhamento simpático num churrasco ou servir como refeição vegetariana, acompanhado por uma salada.






Ingredientes:

160 g de quinoa (mistura de vermelha e dourada)
600 g de curgete
45 g de azeitonas verdes descaroçadas
1 cebola
2 colheres de sopa de salsa picada
3 ovos
100 ml de "natas" de arroz
Raspa de 1 lima
2 colheres de sopa de azeite
Sal
Pimenta


Cozer a quinoa no dobro do seu volume de água. Ralar a curgete e picar a cebola e as azeitonas.

Juntar a quinoa cozida com a curgete, a cebola, as azeitonas, a nata de arroz e a raspa de lima. Temperar com sal e pimenta.

Bater os ovos com o azeite e juntar à mistura anterior, envolvendo bem.

Colocar num pirex e levar ao forno durante 42 minutos a 200º.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Bolo de chocolate com recheio de coco

Vi esta receita no Doce Fim de Semana e resolvi testar, com adaptações. Fica um bolo muito saboroso, com uma associação de que muito gosto - o chocolate e o coco. Uma delícia!






Ingredientes:

Bolo:

175 g de farinha integral
125 ml de óleo de milho
125 g de açúcar amarelo
100 ml de leite de coco
3 ovos
1 colher de chá de cacau
65 g de chocolate preto (sem lactose)
1 colher de sopa bem cheia de açúcar baunilhado (cerca de 25 g)
1 colher de sobremesa de fermento


Recheio:

50 g de coco ralado
50 g de açúcar amarelo
1 colher de sopa bem cheia de açúcar baunilhado
1/2 colher de sopa de amido de milho
4 colheres de sopa de leite de coco


Derreter o chocolate em banho-maria.

Bater as gemas com os açúcares. Juntar o óleo.

Acrescentar o leite de coco e continuar a bater. Em seguida, adicionar a farinha, o fermento e o cacau. Mexer bem. Finalmente, juntar o chocolate derretido.

Para o recheio, juntar todos os ingredientes e mexer bem.

Bater as claras em castelo e envolver delicadamente. Retira-se uma colher de sopa bem cheia, que se junta ao recheio, envolvendo bem.

As restantes claras em castelo envolvem-se delicadamente na massa do bolo.

Deitar metade do preparado para o bolo numa forma de bolo inglês. Distribuir o recheio uniformemente com uma colher e cobrir com a massa restante.

Levar ao forno a 180º durante 47 minutos.








domingo, 21 de julho de 2013

Caril de beringela com tomate

Mais uma receita de inspiração indiana que fez um almoço vegetariano bem saboroso. Também pode servir como acompanhamento.





Ingredientes:

2 beringelas
3 tomates
1 cebola
1 malagueta
2 colheres de chá de mostarda
1/2 colher de chá de cúrcuma
1/2 colher de chá de cominhos
1/2 colher de chá de coentros em pó
1 molho de coentros
Sal
Azeite


Picar a cebola e refogar no azeite com a malagueta. Quando estiver dourada, acrescentar a beringela em cubos e deixar cozinhar em lume brando durante 30 minutos.

Ao fim desse tempo, adicionar a mostarda, a cúrcuma, os coentros em pó e os cominhos e deixar cozinhar dois minutos. Acrescentar o tomate cortado em cubos e deixar cozinhar mais dez minutos.

Retirar do lume, temperar com sal e com os coentros picados. Servir com arroz basmati.

sábado, 20 de julho de 2013

Acelgas e cogumelos com molho de tahini e lima

Um almoço vegetariano, saudável, fresco e que está pronto em quinze minutos. A ideia veio do Inspired Edibles - e são mesmo inspiradas, as sugestões deste blogue!

Um molho de acelgas, uma embalagem de cogumelos brancos, um molho exótico e simpático, tudo com um ovo a cavalo por cima e uma fatia de pão para molhar na gema... uma delícia!

Não se esqueçam que hoje é o último dia do Passatempo dos 1000 Gostos! Ainda têm até às 23h59 para participar! Aguardo as vossas propostas.






Ingredientes:

1 molho de acelgas (cerca de 350 g)
300 g de cogumelos brancos
1 dente de alho
1 lima
1 colher de sopa de tahini (pasta de sésamo, feita em casa segundo as instruções do The Love Food)
1 colher de sopa de salsa
2 ovos
Sal
Pimenta
Azeite
2 fatias de pão de mistura


Laminar os cogumelos. Lavar e arranjar as acelgas, retirando as raízes, mas deixando as folhas inteiras.

Aquecer um fio de azeite numa frigideira e refogar os cogumelos. Quando estiverem cozidos, retirar do lume e temperar com sal, pimenta e a salsa picada.

Entretanto, aquecer um fio de azeite noutra frigideira e fazer murchar as acelgas. Deixar refogar três minutos (não deixar cozer demais).

Numa taça, juntar uma colher de sopa de azeite, o sumo da lima, o dente de alho picadinho e o tahini. Misturar bem e envolver as acelgas neste molho. Temperar com sal e pimenta.

No prato, dispor as acelgas com o molho e por cima os cogumelos. Na frigideira onde se refogou os cogumelos, fritar dois ovos.

Dispor os ovos por cima e servir com uma fatia de pão de mistura em cada prato.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Pão de mistura com sementes de girassol

Este pão surgiu num momento de inspiração, assim tipo caldeirão da bruxa, em que fui acrescentando o que me apetecia, de modo a criar uma mistura diferente. Excelente para o pequeno almoço e para o lanche, é um ótimo pão para fazer sanduíches para levar para a praia.






Manhã do primeiro dia:

120 g de isco de trigo
200 g de farinha de trigo branca
200 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro. Tapar com um saco de plástico e deixar repousar durante 12 horas.


Noite do primeiro dia:

Pré-fermento da manhã
60 g de farinha de milho
60 g de farinha de espelta
60 g de farinha de trigo integral
20 g de fécula de batata
20 g de sementes de girassol
300 g de farinha de trigo branca
10 g de sal fino
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de azeite
200 g de água tépida


Juntar as farinhas, a fécula de batata, as sementes e o sal. Abrir uma cova no meio.

Na taça do dia anterior, adicionar o mel e a água. Mexer bem. Verter este líquido na cova aberta nas farinhas.

Bater na batedeira profissional em velocidade 2 durante 10 minutos.

Lavar a taça de vidro usada e untar com o azeite. Colocar a massa na taça e rodá-la de modo a ficar coberta de azeite. Tapar com o saco de plástico e deixar repousar uma hora.

Levar ao frigorífico e deixar durante a noite (8 a 9 horas).



Manhã do segundo dia:


Retirar a massa do frigorífico. Dar algumas voltas à massa e formar uma bola.

Colocar num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal. Tapar com o saco de plástico ou um pano húmido. Deixar repousar durante 2 horas e meia.

Dar um corte na superfície do pão com uma lâmina afiada. Levar ao forno a 230º durante 20 minutos. Baixar a temperatura para 200º e deixar cozer mais 30 minutos. Findo esse tempo, desligar e deixar o pão no interior do forno a acabar de cozer, durante mais 15 minutos.

Tirar do forno e deixar arrefecer antes de fatiar.



quinta-feira, 18 de julho de 2013

Bolachas de amêndoa, chocolate e laranja

No Mia's Domain, descobri esta receita e resolvi adaptar. Faz umas bolachas fantásticas, sem glúten, sem lactose e super saborosas.

Já se sabe que gosto de associações inéditas. Mas também há associações clássicas que me fazem perder a cabeça - uma delas é chocolate e laranja. Aquelas cascas de laranja confitadas cobertas de chocolate preto? Sim! Mais! Por favor!

Não digam a ninguém, mas estas bolachas têm esse sabor...





Ingredientes:

300 g de miolo de amêndoa sem pele
Raspa de 1 laranja
80 ml de óleo de girassol
165 g de açúcar amarelo
2 colheres de sopa de leite de amêndoas (caseiro, de acordo com as instruções do site Lactose Não)
2 colheres de chá de aroma de baunilha
1 colher de chá de fermento
Uma pitada de sal
100 g de chocolate preto (sem lactose)



Moer a amêndoa até obter farinha. No almofariz, partir o chocolate em pepitas pequenas.

Bater o óleo com o açúcar. Juntar a raspa de laranja e o aroma de baunilha.

Adicionar os restantes ingredientes - a amêndoa em pó, o leite de amêndoas, o fermento e o sal. No final, acrescentar as pepitas de chocolate.

Com uma colher de chá, dispor pequenas porções de massa em tabuleiros forrados com papel vegetal e levar ao forno a 190º durante 18 minutos.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Tarte de limão e mirtilos

Pela blogosfera fora, via as pessoas a falar da Feira do Mirtilo de Sever do Vouga e via as fotos dos reluzentes mirtilos de produção nacional. Ficava a babar, com água na boca e cheia de vontade de experimentar, mas a saber bem que na altura da feira não me iria conseguir deslocar ao local. Se é verdade que há vantagens em viver na capital, também há muitas ocasiões em que invejo as pessoas que vivem no Norte. Esta foi nitidamente uma delas!

Ainda tentei ver se encontrava os mirtilos nacionais por aqui, ou se mandava vir, mas nada resultou. Até que, em desabafo com a Raquelita do Delícias Cá da Casa, em que expressava o meu pesar, chegou a solução. "Eu mando-te um saquinho pelo correio", escreveu ela carinhosamente. Há lá generosidade maior do que mandarmos pelo correio um saquinho de um dos nossos tesouros para uma pessoa que não conhecemos pessoalmente, só porque sim? Adorei a oferta, adorei o miminho e quando chegou o pacotinho, adorei a fruta.

Olhei para eles e só pensava - "o que é que vou fazer convosco"? Tantas ideias me passaram pela cabeça (inclusivamente simplesmente comê-los todos de uma vez, claro), mas a tarte de limão e mirtilo ficou a ganhar. Aqui vos deixo a imagem e a receita, com um muito obrigada à Raquelita.

E ainda nos perguntam o que é que ganhamos ao termos um blogue? Mas é pergunta que se faça?




Ingredientes:

Massa quebrada (adaptada da receita de massa quebrada doce do blogue Petiscos e Miminhos)

150 g de farinha de trigo branca biológica
50 ml de óleo de girassol
1 ovo
50 g de açúcar em pó
1 pitada de sal

Recheio

3 ovos
175 g de açúcar amarelo
2 limões
100 ml de nata de soja
175 g de mirtilos frescos


Começar por fazer a massa. Juntar a farinha, o sal e o açúcar numa taça e abrir uma cova no meio. No seu interior, verter o óleo de girassol e o ovo.

Com um garfo, ir juntando os líquidos aos sólidos. Quando tiver uma mistura homogénea, amassar com as mãos. Tapar com um pano e deixar repousar trinta minutos.

Forrar uma tarteira com a massa. Picar com um garfo. Colocar uma folha de papel vegetal, colocar feijões secos por cima e levar ao forno a 200º durante 25 minutos. 

Entretanto, ralar a casca de um dos limões. Espremer o sumo dos dois (rende cerca de 150 ml).

Juntar o sumo, a raspa, as natas, os ovos e o açúcar e bater bem. Adicionar os mirtilos e verter a mistura na tarteira (depois de retirados os feijões e o papel vegetal).

Levar ao forno durante 35 minutos.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Salmão com molho de lima

Nos dias de muito calor, apetece algo fresco, rápido, que não exija muito tempo com fontes de calor ligadas. Este salmão saiu numa noite dessas e foi um sucesso cá em casa.

Hoje decidi também participar no desafio lançado pelo Mãos de Manteiga, que faz dois anos. A Anouska pede-nos que partilhemos a nossa primeira experiência culinária. Então vá!

Tinha eu 15 anos, foi organizada na escola onde eu estudava uma visita de estudo. Uma semana no Algarve, onde tínhamos como objetivo conhecer vários locais (o nosso objetivo era bastante menos cultural - queríamos obviamente ir à praia e sair à noite...). Ficámos alojados num pequeno apart-hotel, já não me recordo exatamente onde, e cada quarto tinha um terraço fantástico e uma cozinha com as coisas básicas. Os professores que nos acompanhavam tinham previsto as refeições e na primeira noite era suposto cozinharmos para nós próprios - hambúrgueres com esparguete.

Ora, no quarto que eu partilhava com mais três miúdas, nenhuma de nós sabia cozinhar. Juntámo-nos com os rapazes do quarto ao lado. Assim éramos oito que não sabiam cozinhar. Foi a rambóia total enquanto tentávamos fritar os hambúrgueres congelados e cozer o esparguete. O resultado não foi famoso - os hambúrgueres ficaram queimados por fora e crus por dentro (lume demasiado alto, entendi mais tarde); e o esparguete para oito pessoas foi todo enfiado num tacho com água que talvez desse para cozer como deve ser um quarto dessa porção. Ficou uma pasta, claro, todo mal cozido, e de tal forma aderente que se colava às paredes.

Sim, nós fizémos a experiência. Colava-se às paredes.

Foi uma experiência muito divertida, mas também deu para ver que assim não me safava. Talvez fosse esse o objetivo dos professores? Darem-nos motivação para aprender a cozinhar? Ou será que acreditavam mesmo que os adolescentes daquela idade sabiam qualquer coisa de cozinha? Assim que cheguei a casa, pedi ao meu pai para me ensinar a cozinhar. E a partir daí já é outra história.





Ingredientes:

2 lombos de salmão
2 limas
1 colher de sopa de mel
1 colher de chá de tomilho fresco
Flor de sal
Pimenta
Azeite



Ralar a casca de meia lima. Espremer as duas limas e juntar a raspa, o mel, o tomilho e pimenta.

Marinar o salmão neste molho durante uma hora.

Aquecer um fio de azeite numa frigideira anti-aderente. Corar o salmão de ambos os lados, temperar com flor de sal e juntar o molho. Fervilhar em lume médio até reduzir.

Servir com puré de couve-flor.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Sopa de couve-flor

Duas couves-flor enormes chegaram à minha cozinha pelas mãos do projeto PROVE, de que já falei aqui. Resolvi fazer uma sopa simples, em que elas fossem rainhas. O seu sabor é delicado, portanto não quis adicionar nenhum ingrediente que as pudesse suplantar. Saiu assim uma sopa branquinha, leve e saborosa.

Não se esqueçam que o Passatempo dos 1000 Gostos continua a decorrer aqui no blogue até dia 20! Só faltam cinco dias, não se esqueçam de participar. Vejam aqui o regulamento e os prémios. Também podem ver aqui o álbum das participações, disponível no Facebook.




Ingredientes:

2 couves-flor grandes
1 nabo grande
1 cebola
1 batata
2 dentes de alho
Sal
Pimenta
Azeite aromatizado


Juntar todos os legumes numa panela, com água suficiente para os cobrir. Levar ao lume até estarem bem cozidos.

Triturar com a varinha mágica. Levar a lume brando durante 15 minutos para apurar o sabor.

Retirar do lume, temperar com sal e pimenta. No prato, acrescentar um fio de azeite aromatizado com rosmaninho.

domingo, 14 de julho de 2013

Cookies de centeio e chocolate

Sabiam que existem pessoas intolerantes / alérgicas à aveia? Pois é. No fundo, todos os alimentos podem ser alergénicos, só que há alguns que têm mais probabilidade de o ser do que outros. Entre os que têm alta alerginicidade, encontram-se o peixe, os moluscos, os mariscos, os laticínios, os frutos secos, o trigo, a carne de porco, o chocolate, os cominhos, algumas frutas. Entre os que têm baixa alerginicidade, estão o peru, a maior parte dos legumes, a maior parte das ervas aromáticas, a carne de coelho, o azeite, o gengibre. Mas a verdade é que pode haver sempre uma pequena percentagem de pessoas que têm intolerância ao ingrediente mais insuspeito.

A aveia é um ingrediente que eu uso bastante aqui no blogue, pelas suas propriedades nutritivas e pela sua versatilidade. Mas lembro-me sempre da minha amiga que tem uma intolerância à aveia. Procurei então alternativas - e encontrei flocos de centeio e flocos de cevada, que podem ser uma boa forma de substituir a aveia nas receitas de bolachas, entre outras.

Em homenagem a essa minha amiga, que para além dessa intolerância, aprecia muito a cozinha vegan, deixo esta receita de bolachas vegan com chocolate e flocos de centeio.






Ingredientes:

100 g de flocos de centeio
100 g de chocolate preto (sem lactose)
90 g de açúcar amarelo
50 ml de óleo de girassol
40 g de farinha de centeio
2 colheres de sopa de sementes de linhaça
Uma pitada de sal


Moer as sementes de linhaça e juntar o pó com quatro colheres de sopa de água.

Colocar o chocolate a derreter em banho-maria com o óleo.

Misturar a linhaça com os flocos de centeio, o açúcar, o sal e a farinha.

Adicionar o chocolate derretido e envolver bem.

Colocar pequenas porções de massa em tabuleiros forrados com papel vegetal e levar ao forno a 200º durante 15 minutos.



sábado, 13 de julho de 2013

Bolo de pêssego com quinoa

Mais uma com quinoa. Sim, eu confesso, adoro a quinoa. Estou sempre a experimentar coisas novas para fazer com ela, então usá-la em doces é a loucura. A textura que deixa nas bolachas ou nos bolos é do melhor que há - misturada com fruta da época, este bolo ficou uma delícia. A inspiração vem das bandas do Jenn's Random Scraps, mas foi bastante alterada.

A humidade da quinoa permite reduzir bastante a quantidade de ovos e de gordura. E mesmo assim, o resultado é um bolo molhadinho e saboroso - mas saudável! Excelente para quem está a tentar manter a linha, mas não quer deixar completamente de comer um docinho.






Ingredientes:

180 g de quinoa cozida (pesada depois de cozida)
2 pêssegos grandes bem maduros (cerca de 215 g, depois de pelados e descaroçados)
100 g de iogurte de soja de limão
80 ml de óleo de girassol
1 ovo
55 g de açúcar mascavado escuro
55 g de açúcar amarelo
200 g de farinha de trigo integral
1 colher de chá de fermento
Uma pitada de sal



Misturar a quinoa cozida com o iogurte, o óleo, o açúcar e o ovo. Bater bem.

Noutro recipiente, juntar a farinha, o fermento e o sal.

Juntar as duas misturas e envolver bem. Acrescentar o pêssego cortado em pedaços pequenos.

Verter numa forma de bolo inglês e levar ao forno a 180º durante 45 minutos.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Musse de alfarroba, chia e aveia

Esta receita do Whole New Mom pareceu-me interessante de imediato, pela utilização da chia e sua associação com a alfarroba. A cobertura de aveia foi uma invenção minha, que me pareceu que combinaria maravilhosamente com esta receita. Uma sobremesa leve, pouco calórica, mas consistente e deliciosa.




Ingredientes:

Musse:

30 g de sementes de chia
45 g de farinha de alfarroba
45 g de açúcar amarelo (ou em alternativa, 2 tâmaras)
1/2 colher de chá de aroma de baunilha
300 ml de leite de aveia caseiro (de acordo com a receita de Chubby Vegan)

Cobertura:

2 colheres de sopa de flocos de aveia
1/2 colher de sopa de açúcar amarelo
1/2 colher de chá de gengibre em pó
1/2 colher de chá de canela em pó
Óleo de girassol qb


Moer as sementes de chia no moinho de café até ficarem em pó.

Juntar as sementes moídas com os restantes ingredientes. Bater no liquidificador ou com a varinha mágica.

Distribuir em duas taças. Tapar com película aderente e levar ao frigorífico de um dia para o outro.

No próprio dia, juntar os flocos de aveia com o gengibre, a canela e o açúcar. Levar uma frigideira ao lume com um fio de óleo de girassol e tostar a mistura durante alguns minutos. Quanto mais tempo se deixar ao lume, mais crocante fica.

Retirar do lume e deixar arrefecer.

No momento de servir, polvilhar com a aveia tostada.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Pastel de fubá

Ao contrário do que pensei estes anos todos, fubá não é igual a farinha de milho. Ambos têm processos de produção diferentes, que dão resultados e utilizações diversas. Vivendo e aprendendo!

E nas minhas pesquisas encontrei esta receita, que achei logo que iria fazer sucesso cá em casa! Neste site encontram a receita e também a explicação da diferença entre os dois produtos.

É a primeira vez que apresento uma receita brasileira e fiquei muito contente com o resultado. Apesar de normalmente não ter muito sucesso com este tipo de pastéis, estes ficaram bonitos e saborosos.





Ingredientes:

500 g de farinha de fubá
750 ml de água
1 folha de louro
1 cebola
2 colheres de sopa de salsa picada
2 colheres de sopa de coentros picados
60 g de bacon
1 dente de alho
150 g de cogumelos
500 g de carne de porco picada
1 colher de chá de pimentão doce
1 malagueta
Azeite
Sal
Pimenta


No liquidificador, colocar metade da água, metade da cebola, 1/4 de colher de chá de sal grosso, o louro, uma colher de sopa de salsa e os coentros. Bater bem.

Pesar o fubá. Ao liquidificador, acrescentar seis colheres de sopa bem cheias desta farinha e voltar a bater.

Entretanto, ferver a restante água. Quando estiver a ferver, juntar a mistura anterior, mexendo sempre com uma colher de pau.

Quando atingir uma consistência cremosa, tapar e deixar cozinhar durante 20 minutos em fogo médio.

Ao fim desse tempo, uma parte da massa terá pegado no fundo da panela; acrescentar então a restante farinha e cozinhar mais quinze minutos sem parar de mexer. O resultado será uma farofa grossa.

Colocar numa tigela. Passar por água um saco de plástico e colocar a tigela dentro do saco molhado. Fechar para não deixar entrar ar.

Entretanto, picar a cebola e cortar o bacon em cubinhos pequenos. Refogar num pouco de azeite.

Quando a cebola estiver transparente, juntar o alho picado e os cogumelos fatiados.

Assim que os cogumelos começarem a murchar, acrescentar a carne, a malagueta picada, o pimentão doce e mexer bem. Deixar cozinhar a carne completamente. Temperar com sal, pimenta e uma colher de salsa picada. Retirar do lume e deixar arrefecer.

Quando a massa e o recheio tiverem arrefecido completamente (esperar pelo menos duas horas), amassar o fubá com as mãos durante dez minutos até obter uma massa possível de trabalhar.

Com as mãos húmidas, fazer bolinhas com a massa, achatá-las e recheá-las. Fechar as bordas com os dedos húmidos. Nesta altura, podem ser congelados.

Fritar os pastéis dois a dois em óleo bem quente, sem mexer. Quando ficarem dourados, virá-los para dourarem do outro lado - nunca antes disso, porque senão vão partir-se.

Se forem congelados, devem ser fritos diretamente saídos do congelador.

Servir com puré de couve flor e aipo. 

Para o puré, cozer duas couves-flor, uma batata e um talo de aipo em água com sal. Escorrer, triturar os legumes até obter um puré; acrescentar um fio de azeite e uma colher de sopa de leite de soja e mexer bem. Temperar com sal, pimenta e noz moscada.


quarta-feira, 10 de julho de 2013

Curgetes grelhadas com lima e manjericão

Já vos falei aqui do livro de Nigel Slater, The Kitchen Diaries. É um livro de que gosto muito, a que recorro com frequências, e que me fez descobrir vários ingredientes que na altura não conhecia ou não usava. Slater tem uma cozinhar bastante internacional, com influências de muitas partes do mundo, mas ao mesmo tempo acessível.

Estas curgetes grelhadas foram uma adaptação de uma receita desse livro e são perfeitas para um piquenique ou para um churrasco. Também são boas como acompanhamento em dias de muito calor, porque é um prato fresco, ou como base de recheio para umas tortilhas mexicanas.





Ingredientes:

3 curgetes grandes
5 colheres de sopa de azeite
Raspa de 1 lima
Sumo de 2 limas (cerca de 80 ml)
2 colheres de sopa de manjericão fresco
Sal
Pimenta

Cortar as curgetes em lâminas grossas, no sentido longitudinal. Dispor em tabuleiros de ir ao forno forrados com papel vegetal, sem se sobreporem (encherão dois tabuleiros).

Levar ao forno no grill durante 30 minutos, até ficarem bem molinhas. A meio do tempo, trocar os tabuleiros, o de baixo para cima e o de cima para baixo. Se for o caso, grelhar no churrasco, tendo o cuidado de não deixar queimar.

Numa taça de vidro grande, juntar a raspa da lima, o sumo, o azeite e o manjericão picado. Temperar com sal e pimenta.

Juntar as curgetes grelhadas e misturar bem no molho. Levar ao frio.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Pão de aveia e linhaça

Esta é uma adaptação da receita do Pão, Bolos e Cia. Fica um pão denso, bem nutritivo e delicioso. Como foi feito num dia de muito calor, acabou por levedar demasiado tempo e ficar com um travo amargo. Nós cá em casa gostamos, mas se não for o caso, em época de temperaturas altas vale a pena encurtar um pouco o tempo de levedação.





Noite do primeiro dia:

120 g de isco de trigo integral
200 g de farinha de trigo integral
200 g de água tépida


Misturar tudo numa taça de vidro. Tapar com um saco de plástico e deixar repousar durante 12 horas.


Manhã do segundo dia:

Pré-fermento do dia anterior
100 g de sementes de linhaça dourada + uma colher de chá para salpicar
135 g de flocos de aveia + uma colher de chá para salpicar
340 g de farinha de trigo integral
220 g de água tépida
1 colher de sopa de mel + qb para untar
1 colher de sopa de azeite
10 g de sal fino


Moer a linhaça e aveia no moinho de café, de modo a obter a consistência de farinha.

Misturar com a farinha de trigo e o sal e abrir uma cova no meio.

À mistura do dia anterior, adicionar o mel, o azeite e a água. Envolver bem e verter na cova aberta nas farinhas.

Bater na batedeira profissional a velocidade 2 durante 7 minutos.

Lavar a taça usada no dia anterior, untar com azeite e colocar aí a massa, revirando-a de modo a que fique coberta de azeite.

Tapar com o saco de plástico e deixar repousar 4 horas.

Ao fim desse tempo, retirar, dar algumas voltas à massa e formar uma bola. Colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal, salpicar com flocos de aveia e sementes de linhaça e pincelar com azeite. Tapar com um pano húmido e deixar repousar mais 3 horas.

Dar uns cortes na superfície do pão e levar ao forno a 230º durante 20 minutos. Findo esse tempo, baixar para 200º e deixar mais 15 minutos. Baixar de novo para 150º durante 20 minutos. Desligar o forno e deixar o pão no seu interior a terminar a cozedura por mais 10 minutos.

Retirar, deixar arrefecer e fatiar.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Ninhos de chocolate

Descobri o KitchLove e adorei - o nome, o design, as receitas. Encontrei estes ninhos de chocolate e não lhes pude resistir! Com algumas adaptações, aqui fica a receita.

Porque os fiz para levar para um piquenique, são ideais para participar no Vamos Fazer Bolachas de Julho, promovido, como sempre, pelo Cravo e Canela.





Ingredientes:

Massa

200 g de farinha de trigo branca
100 g de farinha de trigo integral
50 g de fécula de batata
50 g de amido de milho
150 g de açúcar amarelo
1/2 colher de chá de sal
2 ovos
125 ml de óleo de girassol
1 colher de chá de fermento

Recheio

115 g de chocolate preto (sem lactose)
125 ml de nata de soja
1 ovo
35 g de açúcar amarelo
25 g de amido de milho
250 ml de leite de aveia caseiro (feito segundo as instruções do Chubby Vegan)


Para a massa, juntar as farinhas, o fermento, o açúcar e o sal. Misturar e abrir uma cova no meio.

Aí, verter o óleo e os ovos. Envolver com uma colher de pau até obter uma mistura homogénea.

Amassar com as mãos durante alguns minutos. Cobrir com película aderente e levar ao frigorífico.

Para o recheio, colocar o chocolate a derreter em banho-maria. Quando começar a desfazer-se, juntar as natas.

Num recipiente à parte, bater o ovo com o açúcar. Seguidamente, juntar o amido de milho.

Adicionar o leite a esta mistura e levar a ferver em lume brando, mexendo sempre, até espessar.

Adicionar o chocolate derretido e as natas e envolver bem.

Retirar a massa do frio e fazer bolinhas, que se colocam em tabuleiros de ir ao forno forrados com papel vegetal. Com o cabo de uma colher de pau, fazer um buraco no meio. Rechear com o chocolate e levar ao forno a 200 º durante 22 minutos.




domingo, 7 de julho de 2013

Queques de frutos vermelhos com espelta

No Laurel Y Menta encontrei esta receita. Pareceu-me uma combinação deliciosa e quis experimentar. Foram perfeitos para levar para um piquenique e são também uma boa sugestão para festas. Aqui ficam!




Ingredientes:

2 ovos
90 g de açúcar mascavado escuro
70 ml de azeite
120 g de farinha integral de espelta
150 g de frutos vermelhos (amoras, framboesas, morangos, groselha)
1 colher de chá de fermento


Bater os ovos com o açúcar. Adicionar o azeite em fio, sem deixar de bater.

Juntar a farinha e o fermento, batendo bem.

Adicionar por fim os frutos vermelhos e envolver.

Verter a massa em formas de mini-muffins e levar ao forno a 200º durante 15 minutos.

sábado, 6 de julho de 2013

Folhas de couve recheadas

Com inspiração turca, estas folhas de couve recheadas com soja granulada e arroz integral são perfeitas para levar na marmita. Podem comer-se frias, pelo que fazem um excelente almoço para o verão, naqueles dias de muito calor em que a última coisa que queremos é aquecer o que quer que seja. Com um sabor bem vibrante, esta receita base permite várias adaptações - por exemplo, substituir a soja por carne picada, usar folhas de videira marinadas em vez de couve ou acrescentar passas e/ou pinhões ao recheio.





Ingredientes:

1 couve lombarda
180 g  arroz integral
75 g soja granulada
1 cebola
400 ml vinho tinto
1 1/2 colher de chá de menta seca
5 colheres de sopa de salsa picada
1 malagueta
Sumo de 1 limão
Azeite
Sal
Pimenta


Separar as folhas da couve cuidadosamente, sem as partir, e lavar bem.

Cozer o arroz em água e sal.

Juntar o vinho, 600 ml de água, uma colher de chá de menta seca e uma pitada de pimenta preta. Demolhar a soja nesta mistura durante 20 minutos.

Picar a cebola e refogar no azeite, juntamente com a malagueta partida ao meio. Escorrer a soja, retirando o excesso de líquido e juntar à cebola. Refogar em lume brando durante 10 minutos.

Retirar do lume. Temperar com sal, pimenta, o resto da menta seca e a salsa picada. Envolver o arroz cozido nesta mistura e reservar.

Colocar uma panela de água a ferver e escaldar as folhas de couve, para amolecerem.

Colocar uma folha de couve na palma da mão, colocar uma porção de recheio e fazer um embrulho. Repetir para cada folha e ir colocando os embrulhos numa frigideira, apertando-os bem uns contra os outros para não abrirem.

Regar com sumo de limão e um fio de azeite. Salpicar com um pouco de sal e acrescentar água até cobrir os embrulhos. Tapar com um prato com a "barriga" virada para baixo, para evitar que os embrulhos bóiem na água e se abram.

Ferver em lume médio-baixo durante 40 minutos. Escorrer a água e servir com uma salada mista.

Pode comer-se quente ou frio.


sexta-feira, 5 de julho de 2013

Mini-quiches de ervilhas e fiambre

Um dos vouchers de Natal que distribuímos pelos amigos oferecia um piquenique. Mas o São Pedro andou a chatear-nos este tempo todo com o chove, não chove e o piquenique foi sendo adiado. Até que chegou o calor a sério e lá fomos nós, de armas e bagagens, para Monsanto, numa tarde de domingo.

Uma das iguarias que fazia parte do cardápio foram estas mini-quiches, com um recheio já muito conhecido cá em casa. A massa foi também feita em casa, a partir de uma receita de Emilie and Lea's Secrets, e resultou muito bem.




Ingredientes:

Massa

130 g de farinha de centeio
70 g de farinha de trigo integral
4 g de sal fino
5 colheres de sopa de óleo de girassol
70 ml de água

Recheio

2 ovos
200 ml de nata de soja
150 g de ervilhas
100 g de fiambre
1 cebola
1 1/2 colher de sopa de hortelã picada
Azeite
Sal
Pimenta
Noz moscada


Começar por fazer a massa. Juntar as farinhas e o sal e abrir uma cova no meio. Aí, verter o óleo. Com um garfo, ir misturando os dois.

Em seguida, amassar com as pontas dos dedos e ir acrescentando um pouco de água de cada vez. Quando terminar a água, amassar bem durante 15 minutos.

Levar ao frigorífico durante 1 hora, embrulhado em película aderente. Retirar passado esse tempo e deixar à temperatura ambiente 15 minutos antes de tender com o rolo da massa.

Para o recheio, cozer as ervilhas em água e sal.

Refogar a cebola picada no azeite. Quando estiver dourada, acrescentar o fiambre picado e deixar cozinhar durante dois minutos. Juntar então as ervilhas cozidas e envolver bem. Desligar o lume, temperar com sal e pimenta e adicionar a hortelã picada.

Numa taça, bater os ovos com a nata de soja. Temperar com uma pitada de noz moscada.

Juntar as ervilhas com o fiambre a este creme.

Tender a massa e cortar doze círculos, com os quais se forram formas de muffins untadas com azeite. Dividir o recheio pelas doze mini-quiches.

Levar ao forno a 200º durante 45 minutos.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Mini-pastéis de alho francês

Esta receita é adaptada de uma outra do livro Petiscar com Estilo, de José Avillez. É um chef português que eu aprecio muito e gosto bastante das suas receitas; este livro é particularmente interessante para festas, piqueniques e refeições de petiscos. Entre inúmeras sugestões, adoro estes mini-pastéis de nata salgados, que adaptei para uma versão sem lactose. São uma maravilha para quem gosta de alho francês, porque o sabor deste vegetal é mesmo intenso!





Ingredientes:

500 g de alho francês
100 ml de nata de soja
2 ovos
750 g de massa folhada (sem lactose)
Sal
Pimenta
Azeite


Começar por abrir a massa folhada e pincelar generosamente com azeite. Fechar em rolinhos apertados, enrolar em película aderente e levar ao frio enquanto se prepara o recheio.

Picar o alho francês muito fino. Levar a refogar em azeite, mexendo sempre. Após alguns minutos, acrescentar 100 ml de água, tapar e deixar cozer em lume brando.

Quando o alho francês estiver bem cozido, juntar a nata de soja e deixar ferver dois minutos, mexendo sempre.

Retirar do lume, temperar com sal e pimenta. Colocar no liquidificador e reduzir a mistura a um creme.

Deixar arrefecer. Quando estiver morno, juntar os ovos e mexer bem.

Retirar a massa folhada do frigorífico e cortar em moedas grossas (cerca de 1 cm). Colocando um dedo no centro de cada moeda, pressionar de modo a dar a forma de um mini-pastel de nata.

Forrar formas de mini-muffins com a massa. Preencher com o recheio e levar ao forno a 220º durante 25 minutos (ou até dourar).

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Pastéis de batata doce

Esta encontrei-a no 101 Cookbooks e quis logo experimentar! Um excelente amuse bouche para quando recebemos amigos, fez também as delícias num piquenique.

Também poderá fazer um bom acompanhamento para carne assada ou para um churrasco.




Ingredientes:

700 g de batata doce
1 colher de chá de cominhos moídos
1 dente de alho
1 colher de chá de coentros moídos
3 colheres de sopa de coentros frescos
Sumo de uma lima
30 g de farinha de grão
Sal
Pimenta


Cozer as batatas doces no forno a 230º durante 45 minutos. Quando estiverem bem molinhas, retirar do forno e deixar arrefecer antes de pelar.

Depois de retirada a pele, colocá-las numa taça com os cominhos, o alho picado muito fino, os coentros frescos e os moídos e o sumo de limão. Esmagar tudo até obter uma pasta.

Acrescentar a farinha de grão, envolver bem, temperar com sal e pimenta e levar ao frio durante uma hora.

Com duas colheres de sopa, formar pastéis, que se colocam num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal. Levar ao forno durante 18 minutos a 200º.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Baguettes semi-integrais

Depois da minha primeira experiência com baguettes a sério, na senda do desafio do Bake The World, pensei logo que gostava de voltar a experimentar fazê-las, mas desta vez usando o isco. E também não ficaria nada mal se acrescentasse um pouco de farinha integral. E se calhar com sementes... Bom, estão a ver a ideia.  Deu-me vontade de fazer novas versões deste pão cheio de frissons.

Deu-me para aí um dia destes de muito calor. Deixei o isco a alimentar-se durante a noite, acordei mais cedo de manhã para amassar o pão (os vizinhos devem ter-se perguntado que raio de barulho repetitivo seria aquele durante 15 minutos às oito da manhã) e fui fazendo baby-sitting durante o dia. Como estava realmente muito calor, as baguettes levedaram de forma relativamente rápida, pelo que os tempos que coloco poderão não ser os mesmos em dias de temperaturas mais amenas.





Noite do primeiro dia:

30 g de isco de trigo
50 g de farinha de trigo integral
50 g de água tépida

Misturar tudo numa taça de vidro, tapar com um saco de plástico e deixar repousar durante 12 horas.


Manhã do segundo dia:

Pré-fermento do dia anterior
450 g de farinha de trigo branca
250 g de água tépida
9 g de sal fino


À mistura do dia anterior, juntar a água e a farinha. Misturar com uma colher de pau, tapar com o saco de plástico e deixar repousar 30 minutos.

Adicionar o sal e amassar dentro da taça para incorporar.

Retirar da taça e amassar segundo o método Bertinet durante 15 minutos (ver este vídeo). Lavar a taça, untar com azeite e colocar a massa, rodando-a para ficar recoberta de azeite. Deixar repousar duas horas.

Ao fim desse tempo, dar umas voltas à massa como se mostra aqui. Deixar levedar mais duas horas e repetir. Ao fim de mais duas horas (no total, ao fim de 6 horas desde o fim do amassar) retirar a massa da taça, dividir em três partes iguais e enrolá-las formando um rolinho, como se mostra neste vídeo.

Colocar os rolinhos num pano polvilhado com farinha (ver este vídeo) e deixar repousar 30 minutos tapado com o plástico.

Formar as baguettes como se mostra no mesmo vídeo. Colocá-las no pano enfarinhado, com dobras entre elas para não se pegarem. Tapar e deixar levedar mais duas horas.

Dez minutos antes de perfazer o tempo de fermentação, começar a aquecer o forno a 250º. Quando atingir a temperatura, borrifar com água para criar vapor. Baixar a temperatura para 230º, dar uns cortes diagonais na superfície das baguettes e colocar no forno. Deixar cozer cinco minutos.

Voltar a abrir o forno e borrifar de novo generosamente, tendo o cuidado de não dirigir a água para o pão. Fechar e deixar cozer mais cinco minutos.

Ao fim desse tempo, vira-se o tabuleiro ao contrário, de forma que a baguette mais encostada ao fundo do forno fique agora junto à porta. Baixar a temperatura para 200º e deixar cozer mais 18 minutos.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Bolachas de aveia, centeio, coco e mel

Descobri no Mãos de Manteiga esta receita e tive que adaptar! Aveia, coco e mel, deu-me logo água na boca só de imaginar. Acrescentei uns flocos de centeio integral que ficaram a matar e dispensei a farinha.

Ficam bolachas estaladiças e bem saborosas! E o melhor é que me lembram os bolinhos de coco que a minha mãe faz no Natal - mas em versão saudável!








Ingredientes:

200 g de flocos de aveia integrais
65 g de coco ralado
65 g de flocos de centeio integrais
135 g de açúcar amarelo
4 colheres de sopa de óleo de girassol
2 ovos
2 colheres de sopa bem cheias de mel
1 colher de chá de fermento em pó


Bater os ovos com o óleo.

Juntar os restantes ingredientes e misturar com as mãos.

Com uma colher de chá, dispor pequenas porções num tabuleiro forrado com papel vegetal.

Ir ao forno a 180º durante 15 minutos, até começarem a dourar nas extremidades. Retirar do forno e deixar arrefecer antes de manusear.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...